O único dia em que Pelé enfrentou o Real Madrid

Era junho de 1959, Santos de Pelé e Real Madrid de Di Stefano mediram forças em amistoso realizado no Santiago Bernabeu, diante de um público de 70 mil pessoas. Foi a única vez em que o Rei do Futebol jogou contra o maior clube do mundo.

O amistoso foi realizado em homenagem a Miguel Muñoz que estava se aposentando, mas a realidade é que a partida foi tratada na época como o duelo entre as melhores equipes do mundo. O Real Madrid acabará de levantar sua quarta Copa dos Campeões e o Santos era o campeão paulista.

Di Stefano estava estabelecido, aos 29 anos de idade, no posto de melhor jogador do mundo, era o vencedor da Bola de Ouro inclusive. Mas o que o jovem Pelé fez aos 17 anos na Copa da Suécia chamou muita atenção dos europeus e os relatos vindos do Brasil eram assombrosos.

A equipe do Santos em excursão pela Europa em 1959. Em pé: Lalá, Getúlio, Ramiro, Pavão, Zito e Mourão. Agachados: Dorval, Afonsinho, Jair, Pelé e Pepe. Foto: Arquivo/SantosFC

Pelé tinha marcado 58 gols na conquista do campeonato paulista e na campanha que terminou com o vice-campeonato do Brasil na Copa América, terminou artilheiro com 8 gols marcados. As comparações começavam a ser inevitáveis.

O Real Madrid entrou em campo com Berasaluce; Marquitos, Santamaría, Casado; Santisteban e Ruiz; Gento, Mateos, Del Sol, Gainza e Di Stéfano. Já o Santos foi escalado com: Lalá; Pavão, Getúlio e Dalmo; Ramiro e Zito; Dorval, Álvaro, Pagão, Pelé e Pepe.

O jogo começou quente e logo aos 10 minutos, Pelé deixou sua marca, marcando um golaço em forte chute da entrada da área. Entretanto, o resto do primeiro tempo foi dominado pelo Real Madrid, que marcou três vezes com Mateos.

Preocupados demais com a presença de Di Stéfano, a marcação do Santos acabou permitindo muito espaço a um atacante menos conhecido e acabou pagando caro. Di Stéfano não marcou, mas deu o passe para dois gols.

A foto do encontro em Di Stefano e Pelé, colorida artificialmente. Foto/Reprodução: Arquivo Santos FC.

No retorno do segundo tempo, Pelé foi derrubado dentro da área e Pepe cobrou para descontar para o Santos. Nesse momento o Real Madrid colocou Puskas em campo e o craque logo marcou, completando cruzamento de peixinho.

Pelé não se deu por vencido e em nova arrancada finalizou com força, no rebote do goleiro, Coutinho marcou. O jogo foi disputado até os minutos finais, mas Di Stéfano ainda tinha mais para tirar da cartola e aos 39 minutos, descolou uma bela assistência para Gento marcar.

Fim de jogo, vitória por 5 a 3 do Real Madrid, numa partida memorável. Mesmo com a derrota, os jogadores do Santos encantaram os europeus, principalmente Pelé. Já na mídia brasileira, toda a elegância de Di Stéfano ganhou muito destaque.