James Rodríguez: “É complicado quando seu treinador não lhe dá minutos”

O colombiano James Rodríguez disponibilizou um tempo para uma entrevista exclusiva ao site Gol Caracol. O jogador se tornou motivo de atenção especial da torcida madridista por ser pouco usado nas escalações de Zinedine Zidane e também não apresentar o futebol tão esperado. O camisa 16 esteve entre os 11 titulares da última escalação do técnico francês para enfrentar a Real Sociedad depois de oito meses sem jogar; o confronto garantiu a liderança da La Liga ao Real Madrid na 30ª rodada.


A verdade sobre Zidane se sentir desconfortável por viagem a Medelim pelo nascimento do filho: “De jeito nenhum, que desconforto gerará o nascimento de uma criança?”


O que mais o incomoda dentre as coisas que são ditas: “Muitas coisas são ditas sobre mim e quase todas são mentiras. O que mais me incomoda é que duvidem do meu profissionalismo, isso não aceito. Sou muito profissional, por isso cheguei onde estou. Me deixa tranquilo que as pessoas que estão ao meu lado e que trabalharam comigo, sabem do que falo. Me cuido, treino muito no dia a dia. Sempre quero melhorar”.


Relação com Zidane: “Nunca teve nenhum problema. Cada treinador tem seus gostos. Temos uma relação normal de trabalho”.


Futuro no Madrid: “Não sabemos o que se vai passar no futuro, mas se me dessem a opção de escolher, escolheria um clube onde possa mostrar minhas capacidades e condições”.


Papel no Real Madrid: “Neste momento meu papel não é de protagonismo. Estou treinando e trabalhando para quando for preciso estar bem. Também estou pensando no futuro, que onde quer que esteja tenho que render o meu máximo nível. Me deixa tranquilo o que estou fazendo, meu trabalho e meu talento não me impedem de sonhar”.


Os comentários na Colômbia sobre Zidane: “Não me parece justo que se falte respeito a uma pessoa por não colocar um jogador para jogar. Não estou de acordo que insultem ele. Pediria mais respeito”.


Sentimento sobre não ser escalado: “Sou sincero: quero ser sempre escalado, sou competitivo. No Madrid existem jogadores de alta qualidade e sei que com meu talento e continuidade eu poderia ajudar o time de várias formas. Mas entendo que Zidane tem sua base, ele ganhou coisas importantes com os jogadores que confia”.


A razão de não jogar: “Eu também gostaria de saber. Como eu disse antes, quando você conquista títulos importantes com jogadores em quem confia e quando tem a base, é difícil mudar. Também é complicado quando o seu treinador não lhe dá minutos permanentemente, torna-se difícil. É complexo mostrar suas capacidades em alguns minutos, você não pode fazer tudo o que sabe. Quem está no mundo do futebol sabe o que estou dizendo”.

Foto destacada: Pedro Salado/Quality Sport