Zidane despista sobre escalação: “O importante não é o desenho e sim o que fazemos com a bola”

A prévia da partida entre Real Madrid e Atlético de Madrid pela Supercopa da Espanha, que acontece neste domingo (12) contou com a entrevista coletiva do treinador merengue, Zinedine Zidane em solo árabe.

Na abertura da coletiva, as primeiras palavras do francês foram sobre as expectativas em torno do dérbi, que foram definidas como “chegar até a última partida da competição”.

Zidane também comentou sobre encarar a sua nona final sob o comando do Real Madrid. “Não muda nada. Fico feliz em jogador outra final. O Real Madrid vive para esses jogos e aqui estamos. Não há mais pressão do que em outras finais, mas viemos aqui para vencer”.

Confira estas e outras declarações ditas pelo técnico:

Rivalidade com o Atlético: “Todo jogo é uma história e um mundo. Vencemos o Atlético e perdemos. Não será o mesmo jogo. É uma equipe muito forte. Sempre provam isto”.

Relação aos cinco meia-campistas: “Não vou dizer como vamos jogar. O importante não é o desenho e sim o que fazemos quando temos a bola. Às vezes você diz que jogamos de uma maneira diferente de como fazemos. Temos coisas boas como equipe, e é isso que importa”.

O trabalho foi a chave para a mudança: “Não há fórmulas secretas. Se perdemos dois jogos, a mesma coisa acontecerá novamente. Acredito neste elenco, mas temos que provar. Estamos trabalhando duro e bem, mas temos que provar isso em cada jogo. Foram oito meses que deixei e voltei. Há momentos na carreira dos jogadores. Eles ganharam muito e é a vida normal do jogador. Só acredito em trabalho e paciência”.

Supercopa da Espanha: “Aceitamos a mudança e temos sorte de poder disputar a competição. É um título e queremos vencê-lo. Para mim, é uma sorte estar na Espanha, morar em um país onde as pessoas apreciam a vida e o futebol”.

O treinador Zidane: “Eu pareço um melhor treinador, pareço bom, progredindo. É a vida. Nós aprendemos com as situações, das pessoas, de tudo ao seu redor. Eu escuto todo mundo e isso me torna um treinador melhor, melhor pessoa. A flor não vai mudar, você sabe que não vai mudar, aceito o que todos pensam e o que querem, sou feliz com o que faço, sou feliz e estou convencido do que faço no campo. Treinador? Não é esse o caso, preparamos as partidas. O mais importante somos nós, mas estamos atentos ao rival”.

Surpresa pela derrota do Barcelona: “A coisa com Valverde acontece com todos os treinadores. Não vai mudar. Na outra semifinal, pensei em ganhar do Barcelona, mas o Atlético compete muito bem. Até o último minuto tudo pode acontecer”.

Anúncios