Sergio Ramos revela ambição da equipe por títulos: “Mantemos viva a ilusão de jogar as finais”

O zagueiro Sergio Ramos também foi um dos convidados a participar da entrevista coletiva que antecede a partida entre Real Madrid e Atlético de Madrid, pela final da Supercopa da Espanha, que está sendo disputada na Arábia Saudita.

Entre os principais temas, estavam os questionamentos sobre o novo formato da competição, mas também o capitão merengue foi perguntado sobre a possibilidade de mais um título, no qual o currículo está recheado de troféus.

“Uma das coisas mais importantes a se divertir é a ambição. Mantemos viva a ilusão de jogar as finais. E isso foi o Real Madrid. É um prêmio, graças ao esforço de todos e ao trabalho de aproveitar uma final contra um rival, que fez mérito estar aqui. O objetivo é conquistar o título”.

Confira esta e outras declarações do zagueiro espanhol:

Formato: “Acho que o formato não depende de nós, mas da Federação, e o fez de uma maneira boa. A Supercopa recupera valor, agora existem quatro equipes concorrentes. Nos beneficia este ano, os convidados. Talvez o no próximo ano, outros virão para contestar. Está tudo muito bem organizado. Nada para censurar. E se os clubes e a Federação se beneficiarem … “

Rivalidade: “É feio falar sobre inimigos, há rivalidade. Não vejo nenhum time como inimigo, é um rival direto. Todos são livres para pensar como quiserem”.

Zidane: “Eu não acho que ele o desrespeitou. Os jornalistas estão aqui para dar sua opinião. Ele tem uma tarefa difícil: escolher 11. Para gostos, cores. Mas ele conhece os figurinos e está livre para jogar como quiser. Nós viemos de uma boa corrida. A equipe respondeu a um nível muito bom, também com outro sistema. Queremos continuar enviando as partidas”.

Finais: “Eu mantenho a porcentagem de sucessos. Ele [Atlético] é um adversário desconfortável, com um ótimo treinador e uma ótima equipe. Lute até o último raio de esperança. Estamos preparados e vamos morrer pelo título. Queremos manter a porcentagem de títulos. contra o Atlético”.

Gol: “Penso que, no final, o Real Madrid segue em frente com o que tem e o que existe. É verdade que há baixas, mas faremos todo o possível para tentar fazer com que a equipe marque gols, independentemente de quem joga. um problema de meta. Espero que não perca”.

Defesa: “Estou em um momento muito bom da minha carreira, me sinto mais jovem a cada dia. Se você se sai bem, a equipe se beneficia. Espero que respeitem nossas lesões. Espero que todos mantenham a meta em zero e que defesa é uma garantia que é boa para a equipe”.

Cinco meio-campistas: “É diferente, se houver tantas pessoas no meio do toque, você tem mais a bola. E isso talvez o torne menos direto, mas você tem mais a bola. O bom é poder alternar, dependendo de quem você tem na frente”.

Evolução: “O treinador coloca em serviço o que ele tem, seu trabalho e profissionalismo. Se você trabalha e se esforça, as coisas vêm. E a equipe está melhorando fisicamente. E isso faz com que hoje tenhamos uma visão diferente em relação aos outros. meses anteriores, mas somos iguais”.

Gol zerado: “É uma daquelas partes em que você é penalizado pelos pequenos detalhes. Esperamos manter o equilíbrio de segurança e defesa”.

Zidane: “Sempre achei que seria um ótimo treinador. Técnicos com o passar do tempo e enfrentam os jogadores que aprendem”.

Atlético: “Gosto de analisar meu time mais do que os rivais. Ele é um grande rival, super sólido, conhece o futebol que faz. Você precisa cuidar dos pequenos detalhes”.

Pré-temporada: “Quando há um título no meio, você não pensa na pré-temporada”.

Torcida: “Nós nos sentimos muito queridos pelas pessoas daqui. O Real Madrid atravessa fronteiras, o Real Madrid parece e aprecia. E vencer seria uma alegria para quem mora aqui”.

Anúncios