Real Madrid precisa voltar a se apaixonar pela La Liga

Trinta e três, esse é o número de títulos do campeonato espanhol conquistados pelo Real Madrid até o momento. Números de dar inveja, não é mesmo?, mas e seu te contar que apenas seis, desse total, foram obtidos nas últimas 18 temporadas, e os outros 27 vieram antes do inicio dos anos 2000. Estaria então, o legado criado pelo Real Madrid em competições nacionais, se perdendo aos poucos? Respondo: Sim!

A paixão que existia entre ambos no século passado foi perdendo força, e hoje não lembra nem metade do que era. A competição que foi a responsável por construiu seu domínio dentro da Espanha, onde mais tarde ajudaria também a consagrá-lo como realeza dentro da Europa, é resumida atualmente em frustração.

O Real Madrid não ganha mais a Liga, essa é a atual realidade. Nos últimos 11 anos apenas duas taças foram obtidas, enquanto no mesmo período, o rival Barcelona conquistou oito, indo de 18 conquistas para 26. Atualmente uma distância de apenas sete títulos separa os dois, algo que não poderia ser imaginado em 1990, quando os merengues tinham uma vantagem de 15 títulos para o adversário.

A cultura de “Liga de Campeões” estabelecida no clube, é em parte responsável por essa situação. Não que tê-la como objetivo principal seja errado, longe disso, afinal a taça sempre será a ‘menina dos olhos’ e prioridade da equipe. O problema surge, quando um clube da magnitude, investimento e talento do Real Madrid, se concentra em ganhar apenas uma competição, podendo ter todas.

É absolutamente inaceitável, que não exista um planejamento consistente e regular que vise a obtenção dos três troféus principais. As conquistas da Champions League devem sim ser simbolo de orgulho, mas apostar no sucesso de uma temporada com base em apenas um titulo, é muito pouco.

Desde a saída de Del Bosque em 2003, o clube somou a passagem de 16 técnicos, escancarando um projeto instável e sem nenhuma continuidade, onde os estilos aplicados por cada novo comandante era completamente oposto ao anterior.

Isso desencadeou uma série de outros problemas como o fato da equipe só passar a render nos momentos finais da temporada e em mata-mata. O que para a UCL é perfeito, mas péssimo em compensação para o campeonato espanhol que nessa altura já estaria praticamente perdido.

Para que essa realidade mude é preciso antes assumir uma postura diferente, consistente, regular e acima de tudo comprometida. O campeonato espanhol precisa ser prioridade hoje e sempre. Aliás, dar preferência pela liga nacional, não significa estar abrindo mão da copa europeia, pelo contrário, atue bem nela e terá um desempenho satisfatório nas decisões da Champions League.

As partidas da competição geram produtos para o técnico, que poderá assim fazer correções de possíveis erros, sejam táticos, de entrosamento ou até mesmo de posicionamento. Ajudando a chegar nos jogos mais importante da temporada com um melhor desempenho. É necessário ainda ter paciência, um time vencedor não surge de um dia para outro e sistemas de jogo demoram para ganhar forma.

Uma nova temporada está se iniciando, e com ela mais uma chance de provar que a velha paixão pela liga espanhola ainda segue viva e forte dentro do clube. Para tanto, é preciso reconquistá-la, não com discursos bonitos, mas com atitude e determinação dentro de campo. O que o Real Madrid precisa, é voltar a se apaixonar pela La Liga.