A ascensão de Hazard no Chelsea, de jovem promessa à ídolo

“This man is a Hazard to himself” (Este homem é um perigo para si mesmo). Este é um trecho de uma famosa canção feita pela torcida do Chelsea para Eden Hazard, e frequentemente entoada a forte pulmões durante os jogos da equipe. Desde que chegou ao clube em 2012, vindo do Lille da França, o belga conquistou seu espaço e se tornou a maior referência do clube nos últimos sete anos. Depois do anúncio de sua transferência para a Espanha, o meia-atacante assume agora um novo desafio em sua vida: obter êxito usando a camisa do Real Madrid.

Após algumas temporadas arrasadoras na França, onde conquistou a Liga Nacional e Copa. Hazard virou uma sensação e não demorou a ser negociação para o clube que projetaria seu nome no cenário do futebol mundial. Contratado aos 21 anos por 35 milhões de euros, recebeu a difícil missão de assumir a camisa dez do Chelsea.

No dia 4 de junho de 2012, o belga assinava um contrato por cinco anos com os ingleses, que mais tarde seria prolongado até 2020. Sua partida de estréia com os blues foi em 19 de agosto, na vitória por 2 a 0 diante do Wigan, onde distribuiu uma assistência e sofreu um pênalti. Seu primeiro gol oficial com a camisa do Chelsea aconteceu em jogo válido pelo Campeonato Inglês, contra o Newcastle United.

As jogadas em velocidade, os dribles e a visão de jogo somadas ao talento, fizeram de Hazard um dos atletas mais versáteis não apenas dos Blues, como da Premier League. Por ser um “coringa”, o jogador assumiu diversas posições no esquema tático do Chelsea, atuando em todas as posições ofensivas do meio campo para frente. Com sua boa movimentação se encaixava tanto na direita como na esquerda.

Ainda na sua primeira temporada fez um gol contra o Sparta Praga e ajudou o Chelsea a se classificar para as oitavas da Europa League, título que seria conquistado pela equipe no final daquele período. Ainda em 2013, marcou um gol contra o Bayern de Munique na decisão da Supercopa da UEFA, mas não conseguiu evitar a derrota nos pênaltis. Ao longo da temporada foi um dos grandes destaques ajudando o clube londrino a se classificar novamente para uma semifinal de Champions League, onde acabaram eliminados para o Atlético de Madrid.

Contudo, sua melhor versão ainda estava por vir. Em 2014, com 19 gols e 13 assistências, e uma coleção de boas atuações foi eleito o melhor jogador da Premier League daquela temporada. Como se não bastasse foi o autor do gol contra o Crystal Palace, que garantiu o titulo com três rodadas de antecedência. Terminou também como o destaque da boa campanha do Chelsea na conquista da Copa da Liga Inglesa, onde derrotou o Tottenham na decisão.

Como nem sempre só de boas fases é feita a trajetória de um jogador, o ano de 2015 foi uma verdadeira montanha russa para o belga. Entre os principais casos estão as duas penalidades desperdiçadas, uma na fase de grupos da Liga dos Campeões e a outra na quarta fase da Copa da Liga, em duelo contra o Stoke City. A má fase era tanta que se estendeu por 30 partidas consecutivas, se encerrando apenas em 31 de janeiro de 2016, quando o belga chegou ao seu 50° gol para o Chelsea em todas as competições.

Na temporada passada, bateu o pênalti que deu o título da Copa da Inglaterra na vitória contra o Manchester United por 1 a 0 em pleno Wembley Stadium. Resolveria ainda o clássico contra o Liverpool na
Copa da Inglaterra, ao marcar o gol que eliminou o rival no Anfield.

Na partida das quartas de final da Copa da Liga diante do Bournemouth, saiu do banco de reservas durante o segundo tempo e marcou o gol decisivo que deu a classificação aos Blues com vitória por 1 a 0. Eden voltaria a ser importante na classificação dramática diante do Tottenham, que deu vaga na final da competição. Entretanto, na decisão diante do Manchester City, as equipes empataram sem gols no tempo regular e na prorrogação, levando a partida para as penalidades. O belga converteu a última cobrança do Chelsea, mas não conseguiu evitar a derrota por 4 a 3, e amargou o vice-campeonato.

No aniversário de 114 anos do Chelsea, marcou aos 92 minutos o gol que evitou a derrota em casa para o Wolverhampton. Algumas semanas depois, contra o West Ham fez dois gols que recolocaram os Blues no top quatro da Premier League. Este resultado classificou o Chelsea para a próxima Champions League. No balanço final da temporada 2018/19, o belga terminou como artilheiro do time com 21 gols e 17 assistências, em 51 jogos.

E quis o destino que o atleta encerrasse seu ciclo na equipe da mesma forma que começou: sendo campeão da Europa League. A decisão que ocorreu diante do rival Arsenal, recebeu um espetáculo a parte de Hazard, no segundo tempo. Com dois gols marcados e uma assistência, o craque belga encerrou sua passagem pelo Chelsea como mais uma atuação de gala.

No total, foram 352 jogos, 110 gols e 85 assistências em sete temporadas. Com seis títulos conquistados sendo duas Europa League, duas Premier League, uma FA Cup e uma Copa da Liga. Um adeus grandioso de um jogador que chegou como promessa, e sai com um dos grandes ídolos dos Blues. E leva ainda todo o carinho e admiração da torcida, como diz o hino da equipe: You’re welcome any day (Você é bem vindo em qualquer dia).

Hazard abre agora uma nova página em sua carreira, e passa a escrever uma história diferente, uma que ele vem trasando há alguns anos. Com novos desafios, conquistas e extrema cobrança, chega para confirmar se o desejo de atuar pelo Real Madrid irá se converter em sonho ou pesadelo.

Anúncios