Santi Solari não é mais treinador do Real Madrid; Zidane assume

A trajetória de Santiago Solari como treinador do Real Madrid teve um ponto final nesta segunda-feira (11). Após quatro meses de trabalho, o argentino foi demitido depois estar a frente dos fracassos do clube durante a temporada que culminaram na perda dos três títulos em questão.

Assinando seu vínculo em 29 de outubro de 2018 após demissão precoce de Julen Lopetegui, o comandante que estava no Castilla aceitou o desafio e assumiu a barca. Pouco tempo depois, após uma “resposta rápida” da equipe sobre seu comando, a efetivação veio no dia 13 de novembro acompanhada de uma renovação no seu contrato até 2021.

O comunicado informa o desligamento do treinador do elenco profissional, mas não confirma se Solari voltará as categorias de base do clube. “O clube optou por rescindir o contrato que ligava Santiago Solari com o clube como o primeiro treinador da equipe e, ao mesmo tempo, o Real Madrid ofereceu para continuar a pertencer a do clube“.

Zinedine Zidane assume em seu lugar em um contrato de três temporadas, até 2022. Ao longo da manhã, várias fontes espanholas cravaram o acerto e que o francês assumiria o time a partir desta quarta-feira (13) e se juntaria novamente ao clube, depois de 284 dias da sua saída.

Trajetória a la montanha russa

O que parecia um início promissor, tornou-se em uma montanha russa cheio de altos e baixos. Apesar de conquistar o título do Mundial de Clubes em dezembro, seu futebol não encantava e suas escolhas deixavam a desejar. Foi nesse ponto que começou a rixa “Solari-Isco”, que fez o meia perder completamente seu espaço no time e ser descartado até do banco.

A virada no ano teria seu valor, mas não foi esperado: derrotas em casa, tropeços fora e distância no espanhol aumentava. Porém, depois de uma reunião entre os jogadores, uma arrancada fez com que o time e Solari se encontrassem e colocasse o Real Madrid na segunda posição e pronto para disputar o título. Mas logo depois, veio a queda brusca de futebol e resultados.

Colocando Marcelo no banco e não conseguindo recuperá-lo, Bale também fora de sintonia em seu sistema e escolhas equivocadas ao longo dos jogos sentenciou o futuro de Solari. Apesar da sobrevivência após dura sequência no início de fevereiro, a queda se consolidou no fim de fevereiro: duas derrotas seguidas para o Barcelona e em março, a eliminação para o Ajax.

Anúncios