Solari alfineta Isco, evita falar do futuro e diz: “É nas adversidades que se vê o caráter”

O treinador Santiago Solari esteve presente na entrevista coletiva deste sábado (9) em Valdebebas que antecipa o confronto entre Valladolid e Real Madrid pela 27° rodada do Campeonato Espanhol neste domingo (10) às 16h45 (horário de Brasília).

O argentino esteve atrasado por mais de uma hora e ao recepcionar os jornalistas, se desculpou pelo atraso e disse que “estava trabalhando pela equipe”. As respostas de Solari no início foram curtas e de certa forma diretas até para que se evite dar brecha para um assunto que possa aumentar ainda mais a crise do clube.

Abordando sobre sua situação, o treinador foi enfático ao dizer que “não são avaliações que eu tenha que fazer, sou o treinador e como todos, trato de dar o melhor o que tenho”.

“O objetivo é sempre a próxima partida, como sempre. Tem avaliações que eu aceito, mas meu trabalho é seguir adiante. Vou dar sempre o meu melhor, como eu disse no primeiro dia que estive aqui”, afirmou.

Confira agora, essas e outras declarações de Santi Solari:

Sergio Ramos em Valladolid:
“Não deve me consultar em nada. Nos falamos. Me parece muito bom que como capitão, queira estar ao lado da equipe”.

Partida:
“Com profissionalismo, é assim que encaramos. É nas adversidades que se vê o caráter: o que dá a cara, o que se esconde, vê quem se rebela, quem não, o que está feliz ou triste. Devemos trabalhar para seguir somando pontos até o final. A chave é jogar como uma equipe”.

Jogadores no nível do escudo:
“A maioria têm estado a altura. Há jogadores que não estiveram à altura do escudo e comuniquei a eles pessoalmente”.

Isco:
“As questões disciplinares se resolvem internamente e profissionalmente. Para jogar tem que se colocar primeiramente em forma física e depois mantê-la”.

Atraso e possível reunião:
“As coisas que acontecem lá dentro ficam aqui. São coisas de vestiário. Somos muitos severos com as autocrítica, não só em momento pontual das derrotas. Acontece dia a dia, nas vitórias. O difícil é encontrar coisas ruins em momentos tão bons”.

Torcida:
“É um momento triste e dolorido, mas não é incompatível com o respeito e o agradecimento a uma equipe que foi eliminado na Champions depois de mais de mil dias. É uma equipe que deu glórias, que escreveu um período glorioso. Merecem aplausos, mas claro que somos autocrítico quando se alcançam os objetivos”.

Anúncios