Solari lamenta: “Fizemos tudo o que podíamos e não foi possível.”

O Real Madrid foi eliminado de forma vexatória pelo Ajax nesta terça-feira (5) pela Liga dos Campeões. Após a partida, o técnico Santiago Solari conversou com a imprensa e em meio a saia justa que vive no clube, tentou justificar a queda.

Dentre os temas abordados, o técnico falou sobre sentimentos, ausência de Sergio Ramos e também as decisões que tomou para a partida.

Confira as declarações do técnico argentino:

Sentimento após a eliminação: “Ainda é muito doloroso e nós sentimos isso por causa de nossos torcedores que foram espetaculares apoiando a equipe em um momento complicado, fizemos tudo o que podíamos e não foi possível.”

Referência de Carvajal: “temporada de merda”: “Eu esperei por todos eles, foi o último, eles são três vezes campeões europeus e hoje eles saíram desta competição. É um momento muito triste que coloca em valor o que eles fizeram e como é difícil ganhar uma Taça dos Campeões Europeus.”

Ausência de Ramos: “Sem falar mal de nenhum dos nossos jogadores, é claro que sentimos falta do nosso capitão”.

Temporada ruim: “A temporada é difícil, mas nós estamos para isso, para colocar coração e caráter nos momentos difíceis. Os momentos fáceis são mais fáceis para todos, para andar e surfar, os momentos difíceis têm que lhes dar coragem.”

Se tivesse mudado suas decisões: “É uma questão impossível, o técnico toma decisões antes dos jogos começarem. Em termos gerais, eu sei que é um ano complicado, com muitos jovens em um time maduro, de grandes jogadores, todos sabemos disso.”

O que o clube deve fazer: “O que temos a fazer é ter a máxima tranquilidade neste momento tão difícil e enfrentá-lo com o melhor caráter, porque o Madrid, que é maior do que todos nós, sempre volta e volta mais forte.”

Eliminação: “Estamos tristes, feridos, não alcançamos o esforço que fizemos, sentimos isso e temos que trabalhar. Se passaram inúmeras coisas no jogo, vocês que devem analisar”.

Situação pessoal: “Eu não vim para desistir, não valorizo outras coisas.”

Seu trabalho nas quatro derrotas: “Não são avaliações que eu devo fazer.”

E agora?: “Temos a obrigação, por dever profissional, e devemos a esta equipe. E amanhã temos treinamento.”