Solari explica receita do Bernabéu e quer clima de Champions: “Vejo a equipe muito motivada”

Na manhã desta quarta-feira (23), o Real Madrid cumpriu sua última carga de treinamentos antes do compromisso contra o Girona pela partida de ida das quartas de finais da Copa do Rei da Espanha, nesta quinta (24) no Santiago Bernabéu.

Logo após o fim do treinamento, o técnico Santiago Solari compareceu a sala de entrevistas e debateu sobre diversos temas que a imprensa relativizou, incluindo o desaparecimento do jogador argentino e compatriota, Emiliano Sala.

Confira na íntegra a entrevista do treinador:

Girona:
“Possui muitos pontos fortes. É uma equipe muito rápido no ataque e nas jogadas de bola parada. É forte no trabalho defensivo, mas devemos nos concentrar nele e repetir o que fizemos contra o Sevilla, ou antes, contra o Celta, Valencia, em Plzen ou Roma. Mas a solidez frente o Sevilla é a última referência a ser seguida”.

Comunhão com o Bernabéu:
“É uma única receita: entrega, compromisso, entusiasmo e animação. É a forma de competir, através do coração que o jogador coloca”.

Copa:
“Vejo a equipe muito motivada e engajada em qualquer partida. Não vejo diferenças, embora seja verdade que quando toca a música da Champions, tudo se incendeia”.

Emiliano Sala:
“Nós vivemos com tristeza. Nós enviamos força e amor para seus amigos próximos, família. A esperança nunca deve ser perdida”.

Mariano:
“Vários jogadores já estão de volta. Asensio está prestes a voltar, assim como Gareth. Mariano está afiando e a qualquer momento ele estará pronto para entrar”.

Marcelo:
“Seu amor pelo clube é indiscutível. Como seu compromisso, alegria, comportamento… Então as decisões são tomadas e você tem que escolher, que é uma parte difícil do meu trabalho. Cada nova partida é diferente. As coisas que acontecem entre nós são tratadas internamente. E aqui ficam. É importante que todos sintam que podem jogar e também que podem perder o lugar. A competição é necessária”.

VAR e Suárez:
“É um instrumento que recebemos com animação. Queremos que se aplique e que se aplique bem. Quanto menos se falar, melhor. O que mais nos confunde é a discrição. É o primeiro ano e será aperfeiçoado. O importante é que todos nós entendemos isso. É um debate público, que está aí”.

Benzema:
“A decisão de não operar foi tomada desde o ponto de vista científico. O espírito competitivo e a generosidade de Karim são fundamentais. Mas a principal decisão é a dos médicos”.

Javi Sánchez:
“Não pode jogar, está suspenso. O regulamento é claro”.

Anúncios