‘Lesão e Mourinho’: Kaká conta trajetória no Real e o porquê de deixar a desejar no clube

Completando um ano de aposentadoria, o ex-meia Kaká esteve presente no programa Grande Círculo, do canal SporTV que foi ao ar neste sábado (29), fez um longo balanço da sua carreira e contou sua trajetória no Real Madrid.

O brasileiro, apesar de conquistar grandes títulos e ser lembrado por suas arrancadas, fica ainda mais lembrado por ser o último brasileiro a fatura o prêmio de melhor jogador do mundo, isso em 2007.

Kaká esteve convicto de que sua passagem pelo Real Madrid seria uma das melhores, mas nem tudo saiu como queria. “Eu tinha uma convicção que iria dar certo, que era até algo fora do comum. Eu acho que fui persistente, fui até onde eu podia, até o meu limite”.

A trajetória do meio brasileiro na Espanha teve fim na temporada 2013-2014, quando foi comunicado que não ficaria no clube e que haveria uma renovação no elenco.

“O presidente Florentino quis renovar com jogadores da base, jogadores novos chegando, e o Ancelotti foi muito claro comigo: “Olha, o presidente pediu para a gente usar essa estratégia esse ano” E eu falei para ele: “Mister, eu preciso jogar porque eu quero jogar a Copa de 2014″. E a melhor opção era eu sair”, explicou.

kakagrandecirculo
Kaká esmiuçou a sua trajetória no Real Madrid. (Foto: Reprodução/SporTV)

Entretanto, Kaká citou alguns motivos que o façam acreditar o porquê de não dar certo no clube merengue. “Meu problema de Real Madrid é continuidade. Primeiro por questão física, lesão, e depois por escolha do treinador. Passei três anos tentando convencer o Mourinho de que eu podia ter mais oportunidades. Aí era uma escolha dele, estava fora do meu controle. O que eu fazia era ser um excelente profissional”.

Mourinho parece ter sido uma ‘pedra no sapato’ na carreira de Kaká, mas o brasileiro explica que nunca houve desentendimento ríspido, mas sim um desentendimento muito respeitoso.

“Em vários momentos nos desentendemos no Real Madrid. Porque eu achava que eu tinha que jogar e ele achava que não. Mas era um desentendimento muito respeitoso. Em nenhum momento eu me rebelei, “vou embora daqui”, nem saí dando declarações em relação ao treinador. Eu acreditava que as escolhas dele naquele momento não eram corretas em relação a mim”, contou Kaká.

Kaká ficou da temporada de 2009 até 2013, onde atuou em 120 jogos pelo Real Madrid, deixando sua marca com 29 gols e 39 assistências, participando exatamente de 68 ações que resultaram em bolas nas redes.